DaCosta

O que cabe em minh'alma

Textos

                           A HORA E A VEZ

A alma se dilatou pelo etéreo insondável
buscando a voz que lhe sussurrava
e lha trazia notícias raras

Nas predições de um tempo vago...
Quem o arauto das macabras previsões?

Quem lhe soprava aos ouvidos
sombrio futuro, amaro destino?

Por que razão tais confidências jorravam
como chamas a queimar a pena,
caso tentasse não registrá-las?

Pior, é que a cada dia,
torpe momento crucial se crava
e na bruma de um futuro ambíguo
se delineia sorte madrasta

E nada, nada reverterá o destino
da desumana gente,
num tempo ignaro.


E os bons?
- Não serão lembrados.
dacosta
Enviado por dacosta em 04/09/2016
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras