DaCosta

O que cabe em minh'alma

Textos

                          CONSELHO
  Disse o moribundo em seu apelo final:
- Creiam nas vozes das cores, elas expurgam o mal!
  Sintam as vibrações das vozes que não se ouvem
  E cantem as melodias que afastam as dores
  Façam com o tato, o contato com as formas que estão reclusas
  Não existem imperfeições, nem harmonias reclusas
  Procurem no imutável a rara mobilidade
  Busquem no imperscrutável a escancarada verdade!
  Neguem as definições que cerceiam e limitam
  Somos a síntese do imponderável, acreditem.
  Não permitam a qualquer cheiro escapar do seu olfato
  Inalem do frescor ao putrefato!
  Sintam medo, do medo e a covardia da coragem.
  Abandonem-se à vertigem, em qualquer paisagem!
  Deixem que seu sangue, em seiva se transforme
  E busquem a pulsação da terra que nunca dorme!
  Quando em águas se banharem, deixem que penetrem as entranhas
  Somos parte deste mar... Não há simbiose estranha!
  Partículas de estrelas habitam nosso corpo!
  Por Deus! Creiam na revelação sou um homem, quase morto!
  Não esperem como eu, que a morte a Vida revele
  Porque este perdão, Ela nunca concede!
...........................................................................................
  Se lhes conto o que ouvi, é porque desde então...
  Libertei os meus sentidos, tentando outra Dimensão!
dacosta
Enviado por dacosta em 06/02/2018
Alterado em 11/02/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras