DaCosta

O que cabe em minh'alma

Textos

      A ALMA DA PONTE
A ponte sofrida e corroída ainda liga as duas cidades!
Guarda a nobreza de um tempo distante...
Quando as carroças e as carruagens roçavam leves seu solo novinho,
tornando útil o recém caminho
"Grande avanço da modernidade"!

A ponte agora, carcomida e velha
lembra das dores e atrocidades 
dos que sofreram em tempos de guerra,
a se arrastar pelo seu chão clemente
e dos canhões que, impiedosamente,
rasgavam sulcos no seu chão doente.

A pobre ponte ,alquebrada e triste,
pena e chora toda esburacada!

Nem gratidão o povo admite!
A velha ponte está condenada!
Enche-lhe o corpo, só a dinamite...
E o povo aguarda a explosão marcada:
ouve-se o estrondo, em meio à fumaça, 
e a poeira sobe em desgraça...
(sob aplausos de um povo sem calma)

Mas, para o espanto do jovem engenheiro, 
a nobre ponte fica por inteiro!
Tão forte assim...
Só tendo alma!

 
dacosta
Enviado por dacosta em 21/07/2018
Alterado em 21/07/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras